quarta-feira, 26 de agosto de 2009

POEMA DO ARREPENDIMENTO - JOSÉ ANTÔNIO FRANCO HESPANHOL

O remorso é o choro d’alma
Agora, é o inverno de nossas desesperanças.
De fiel, a infame traidor; triste mudança.
Tornou-se pesadelo o mais belo sonho.
nó na garganta, peito dolorido e ato leviano.
Há dor, saudade, solidão e desengano,
há ainda, o esforço ferrenho e desumano,
de enxugar meus olhos tristonhos.

Sim, maldigas meu ato torpe e insano.
Em nosso viver descortinou-se negro pano
sofrer e chorar é minha sina, suponho.
O arrependimento, minh’alma consome voraz,
Só com o perdão meu coração teria paz.
meus lábios sorririam com o brilho fugaz,
de meus olhos tristonhos.
se vc ainda quiser ficar comigo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anúncios

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.