domingo, 28 de fevereiro de 2010

Hipocrisia é pouco...

Muitas coisas às vezes são incompreensíveis. Ou porque o lado emocional envolvido nos impede ou pelo racional mesmo. Um dos dois de qualquer forma está imaturo para captar o verdadeiro sentido do ocorrido. De qualquer jeito, é uma imaturidade da nossa parte, que nos faz cometer certos erros ou sofrer por não entender o que acontece conosco ou com o outro. Estou percebendo que com o tempo não me incomodo com certas coisas. Por exemplo, antes certos olhares e julgamentos me incomodavam, me deixavam mais bolada. Agora, nem sempre. Eu continuo vendo e percebendo as intenções, mas isso não me afeta tanto. Ou porque compreendi que não preciso me preocupar com isso pra viver, ou simplesmente tenho a segurança que não tinha antes... sei lá, pode ser tanta coisa.
Algumas pessoas sabem que mudei o visual. To gostando e ao mesmo tempo sentindo (mais uma vez) como mudar o cabelo pode mudar "quem a gente é". Não que mude nossa essência, mas muda a maneira que somos vistas.
Outro dia, entrei em uma loja de óculos (TRITTON, novo shopping), pra comprar um óculos de sol, e a vendedora nem saiu do lugar. Deu pra ver no olhar e sentir pelo pensamento, que na hora me julgou pela aparência. Enquanto me atendia ficava com aquela cara de cú e sempre que um cliente pisava na loja ela saia e ia atendê-lo. Tudo bem, eu tava precisando tanto mesmo e o preço tava bom, acabei levando. Às vezes só isso me faz ir a outro lugar, mas dessa vez eu fiquei e comprei. Sou chata com esse tipo de coisa.
Por outro lado, pessoas que nem falavam comigo, no teatro, na escola, no trabalho, etc, começaram a falar. E olhar diferente, olhar como um dia já olharam ou como nunca olharam. O pior foi uma pessoa que um dia me tratou de um jeito, depois mudou e depois de minhas novas madeixas voltou a ser como antes; é uma pessoa que se liga muito no superficial ou que se cansa com facilidade das pessoas, rs, como mudei o visual, o interesse dela voltou... realmente, me provou mais o quanto não tem critérios e ainda se acha "a cabeça"! aff
Incrível... eu continuo a mesma, já os meus cabelos! rsrsrs.. eu adorava o comercial de shampoo que a moça falava isso . Mais do que nunca eu percebo que o que mais muda é como nos vêem, e não nossa maneira de agir. Pode ser que um visual nos dê mais segurança e nos faça agir diferente, mas o decisivo mesmo nisso é como as pessoas agem em vista da mudança. Mas agimos diferente por conta do visual ou por conta dos olhares?
Quando saio mais moleque, os olhares são atraídos de certa forma e por um grupo de pessoas, quando estou mais feminina e sensual são outros olhares, outros julgamentos e outras pessoas. Meu cabelo curto faz com que a maioria me trate de uma maneira totalmente diferente de longo com cabecalon e dread! O que aliás, segundo alguns faça pensar que sou maconheira, rs, por conta do estilo e esteriótipos criados para o cabelo. Mas eu continuo detestando drogas...
Para uma pessoa que não tem princípios e valores bem definidos, a simples mudança pode fazer com que aja de formas distintas todas as vezes. Comece a fazer coisas que nunca fez, porque o esteriótipo do novo visual diz que alguém com um tênis, um short ou um vestido, age desse ou de outro jeito. É por isso que os julgamentos mudam, por conta desses esteriótipos. Podemos ser tanta coisa e ser nada sem ser ou naum ser...
O pior, é quando a maneira de agir e julgar muda pra quem nos conhece. Minha mãe, meu pai ou o Marcos não mudaram a maneira de conversar ou de me olhar, porque me conhecem muito bem. Mas algumas pessoas que me conhecem pouco, sim. Ou as que não conhecem se aproximaram ou não, por conta da nova embalagem! Hipocrisia é pouco...
Enfim... termino concluindo, que a mudança é essencial pra resgatarmos algo perdido em nós. Ou que nunca tivemos. Nos dar segurança, coragem, atitude, mas às vezes nos faz se esconder, e fugir de certas obrigações. Na realidade o que mais muda, além de nossas atitudes, é a maneira de sermos vistos ou tratados e isso pode fazer toda a diferença.
Em um mundo que nos cobra tanto e muda a cada segundo, é preciso ser realmente muito firme no que acreditamos, se não nos deixamos levar pela manada comandada pelo sistema e alienação em massa.
Compreendendo ou não as situações, devemos não se deixar abalar por julgamentos ou ações de quem se prende apenas no superficial.
Mudando o visual ou não, é sempre importante termos consciência de parte do que somos e queremos, estarmos dispostos a mudar pra melhor o que nos machuca, além de julgar menos pela aparência.
Assim, seremos mais íntregros e felizes!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Dai-me paciência, dai-me liberdade!

Uma vontade contrariada
Cara amarrada
Falta de respeito
Mudança no visual
Novo cabelo
Novo interesse
Eu continuo a mesma
Já os meus cabelos...
Já os olhares...
Já os julgamentos...
Natural pra quem não conhece, julgar
Mas, ridículo para "amigos"
Mudar a maneira de olhar...
Não tenho mais paciência para aluguel
Não tenho mais paciência para tapar buraco
Não tenho mais paciência para futilidades
Não tenho mais paciência para imaturidade
Deus, afasta de mim esse povo egocêntrico
Onde seu mundo,
Seu sentimento
E seu vazio
São o que importam
Olhares...
Olhos nos olhos mais uma vez
Somente por um cabelo!
Não digo, porque do berço aprendi a ser educada
Mas meus pensamentos são livres
E minhas palavras, às vezes
Não mais usável
Muito menos descartável
Não pense que pode fazer o que quiser de mim
Se seu orgulho está ferido
Problema seu
Ou você...
Se seu olhar mudou
Só me provou mais o quão fútil é
E você ainda
Se mesmo em um berço de ouro,
Sem preocupações do dia-a-dia,
Com tempo ocioso
E que vive por viver
Sinto muito!!!
Meus pensamentos são livres
Das pessoas também
Mas, por favor, ao menos um dia
Deixe-me descansar
Pois sou sensível
Posso sentir sua liberdade,
Ela chega por ondas
Rápida, instantânea
E acaba com a minha!!!

Ninguém tem esse direito!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Meu reinado

Eu não sei o que acontece
Para algo atrair assim dessa maneira
O sossego que almejo
Está longe de acontecer
Por outro lado
O reinado se escancara
Este não é o reinado que eu quero
Meu reinado tão sonhado
Está longe de ocorrer
O sossego que me falta
Me enaltece, me repudia
Ora bom
Ora ruim
Este não é o reinado que eu quero
Eu não sei o que acontece
Para atrair assim dessa maneira
As pessoas se acham no direito
De tratar como quiserem o outro
Não sou assim
Exijo respeito
Me dou o respeito
Esse, não é o reinado que eu quero
Mas, eu não sei o que acontece
Para sempre acontecer
O sucesso almejado
Longe está
O sucesso conquistado
Não é o que eu quero
Me respeite então
Você não tem esse direito
Pra mim, quem perde o respeito
Não merece minha dedicação
Realmente,
Não sei o que acontece para atrair desse jeito
O sossego que almejo
Longe está...
... Mas,
Este não é o reinado que quero

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Expurgando o expurgável. Até quando?!

É, faz um tempinho que não escrevo!
Há umas duas semanas as coisas estão meio complicadas pra mim, mais no sentido físico mesmo. Tenho trabalhado muito, feito horas extras, por uma grande necessidade de dinheiro, o que fez com que me cansasse tanto fisicamente quanto mentalmente, já que o serviço lá é bem estafante, por ser um trabalho voltado bem para o lado mental e físico também.
Isso acarretou em uma gripe forte, juntamente com a sinusite que atacou, há uns 10 dias atrás. Há dois dias tive meio que uma infecção estomacal e intestinal. Nossa, senti muita dor dessa vez! Um dia inteiro deitada, com dor, diarréia, ânsia, febre e corpo imprestável.
Agora estou me recuperando, retornarei ao trabalho, não sei por quanto tempo, rs... Outra questão que está me deixando relativamente em parafuso!
No mais, está tudo transcorrendo da melhor forma.
Eu descobri que na cirurgia de minha mãe foi retirado um tumor. Melhor que foi visto logo no início e que ela está se recuperando muito bem. Obrigada à todos que ainda perguntam.
Com relação ao teatro, digo que o processo está bem intenso e revolucionário. Muito gente, inclusive eu, está mudando conceitos e abrindo os olhos para muita coisa. Esse é um assunto que ainda não comentei por aqui, justamente porque não quero apenas comentar (como estou fazendo agora). Há coisas que demandam muito tempo e reflexão para se colocar no papel ou da boca pra fora. Tempo não estou tendo muito, mas estou refletindo bastante e falando menos, o que está sendo essencial (pensar mto bem antes de falar); nada como falar na hora certa e da melhor forma. Uma coisa eu digo, não adianta se revoltar e sair por aí de cara feia querendo matar todo mundo. Isso só mostra o quão pequenos somos e quanta raiva "enlatada" possuímos.
Me vou nessa agora... tenho que trampar e ver o que será de minha vida!
Estou estafada.. há quase 3 semanas sem folga (embora tenha ficado dois dias de atestado).
Obrigada aos leitores e leitoras frequentes do blog.
Um bom carnaval à todos. Espero que ele seja muito mais regado de reflexões e politizado, do que de banalização e atitudes inconsequentes.

Gabriela

Anúncios

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.