domingo, 23 de setembro de 2012

De quem é a instabilidade?

Há um bom tempo quero escrever este texto. Suas questões estavam sendo trabalhadas na minha mente e no meu Ser e ainda estão. Às vezes não falamos sobre certos assuntos ou não escrevemos, porque vão exigir de nós mais do que um conhecimento técnico e intelectual, muitas vezes mexem com questões particulares e que doi ao serem tocadas.
Houve um ano em que escrevi muitos textos aqui no baú. Ano passado fiz mais poemas.... preciso parar de fugir do texto aqui e começar, rsrsrs
Bom. Desde muito nova eu dava estudos na mocidade espírita, o que me possibilitou uma visão mais ampla das coisas, porém isso sempre foi uma característica minha, eu já tinha essa sensibilidade. Mas, dentro da própria mocidade, depois como dirigente, eu me deparei muito com questões de sexualidade e estudei à luz do espiritismo sobre isso (e mesmo assim encontrando muitos obras preconceituosas de autores que não sabiam interpretar o que a equipe espiritual realmente queria dizer!). Gostava muito de estudar sobre, e ainda gosto, porque vejo que não é um bicho de sete cabeças e nem algo abominável como a maioria diz, mas o que mais me interessa, principalmente naquela época, era a respeito das orientações sexuais e ao longo da minha vida, eu realmente me deparei na mocidade, com muitos casos de pessoas com questões sexuais a seres resolvidas, no qual a maioria dizia ser transtorno, problema ou desvio (mas eu não via dessa forma, tinha uma outra visão).
Quando eu pensei em escrever esse texto, não imaginava que fosse começar com essa introdução, porque a minha intensão é falar sobre a tal da instabilidade que muitos dizem que os gays e bissexuais (detesto classificar) tem em seus relacionamentos. Acabei norteando por esse lado talvez pra mostrar o que eu já vi, que me interesso e estudo o assunto há tempos, apesar de não ser formada em nada.
Estava eu na rua um dia, esperando alguém (não me lembro quem, rsrsrs) comprar esfihas, e vi um casal hétero super bonitinho abraçado na calçada, fazendo o que mais lhe cabia no momento: ficar juntinhos, pele com pele, rosto no rosto, energia com energia, olhar com olhar, carícia com carícia, coração no coração. Só isso. Sem maldade, com afeto, aquela coisa gostosa, que todo mundo gosta de fazer quando dá vontade: ficar agarradinhos, colocar pra fora todo o seu amor, não REPRIMI-LO.

SIM. Não REPRIMIR. Imagina só, se você que está lendo o texto é hétero ou bissexual (mas que nunca tenha passado pelo fato de ter de reprimir ou esconder o seu amor), não poder nem ao menos dar a mão; olhar mais profundamente pra quem ama; falar olhando no olho; mexer nos cabelos (tipo passar a mão de leve, saca? Isso é tão bom!); ficar rostinho colado; abraçar! beijar nem cogite!; chamar de amor!; Nada disso, nada, nunca!!! Imagina isso no seu relacionamento, pra sempre em todos os lugares (ou quase todos)! Você só vai poder fazer isso em lugares ditos gays (em algumas cidades, como São Paulo, dentro de alguns shoppings, alguns bares), na casa das famílias se elas aceitarem e mesmo assim só abraçar , pegar na mão (e olhe lá) e chamar de amor ( nem sei) e na casa de vocês [se morarem juntos ou sozinhos(as)]!

SIM. GAYS (no sentido amplo da palavra) PARA VIVEREM UM RELACIONAMENTO, PARA VIVEREM SUAS CARÍCIAS, PARA SEREM O QUE REALMENTE SÃO, TEM DE SE ESCONDER, MUITAS VEZES ACABAM INDO VIVER JUNTOS.

Com as lésbicas rola uma piadinha infame, de que no segundo encontro elas já estão levando o caminhão de mudança, rs. A gente brinca, mas a questão é muito mais grave do que se possa imaginar. Como viver em uma sociedade onde não se pode ser verdadeiro e completo? Acaba que em dois meses de namoro, muitos casais estão vivendo juntos, porque só assim podem ser quem são, podem viver seu amor, mas não é o momento de assumir uma responsabilidade dessas.
A maioria dos homo ou bissexuais, pra piorar, não tem o apoio da família. Sem apoio da sociedade, sem apoio da família, sofrendo preconceito todos os dias, com todos os problemas que todas as pessoas já vivem diariamente (contas, questões no trabalho, doenças, trânsito, relacionamentos), como ter uma vida estável e saudável? Como se manter em um relacionamento duradouro se tem de se sabotar todos os momentos, se ele não pode ser vivido em todas suas possibilidades, integralmente, como todas as pessoas ditas "normais"?
Tem coisa pior de quando se está apaixonada e se quer estar todo o momento com a pessoa, abraçada, de mãos dadas, olho no olho, fazer coisas "bobas" como andar no shopping, na rua, no parque, ir ao cinema e não poder?!!!!
Tem coisa pior do que não pode estar com ela no almoço de família de domingo?!!!
Tem coisa pior que não estar nas festas da família?!!!!
Tem coisa pior que não poder mostrar ao mundo o seu amor?!!!
Tem coisa pior que não poder ser você?!!!!
Tem coisa pior que ficar se sabotando todos os momentos?!!!
Tem coisa pior que olhares, comentários, atitudes maldosas, ser tratada como uma criminosa, colocada no mesmo patamar de pessoas de coração ruim, por fazer algo que é tão sublime: AMAR?!!!

TEM COISA PIOR QUE ESSA HIPOCRISIA QUE MASCARA E NÃO DEIXA VIVER TODO ESSE AMOR?!

TEM?!

Diga... como ser Estável assim?! Como manter relacionamentos? Como viver feliz?! Como? Como não chorar todos os dias? Como não querer um mundo diferente. Como não perder as esperanças?
Algumas pessoas dirão: Ah, mas se há amor, sobreviverá a tudo! Pessoas, que não passaram por isso, reprimir ou não ser aceito (seja gay ou hétero) com toda certeza! Talvez não poder exprimir seu amor verdadeiramente e reprimi-lo até mesmo quando se está com o outro, é uma das piores coisas que pode acontecer a alguém. Isso com certeza cria muitas questões internas.


Agora diga você que nunca teve problemas em poder VIVER O SEU AMOR. Como seria viver assim? Será que você estaria com o mesma pessoa até hoje? Será que você teria vivido tantas alegrias? Será que teria tido tantas felicidades? Será?

Se já é difícil sendo aceito, como seria não sendo?


QUANTAS FELICIDADES ESTÃO SENDO SUBTRAÍDAS DE MULHERES QUE AMAM MULHERES E DE HOMENS QUE AMAM HOMENS OU DOS QUE AMAM OS DOIS, POR SIMPLESMENTE NÃO PODEREM SER SINCEROS COM O SEU AMOR?! SEREM LIVRES ONDE TEORICAMENTE TODOS SÃO LIVRES: NAS RUAS!

Se com tantos direitos, casais héteros se desfazem aos montes, é porque algo está acontecendo. Um VIVA aos homo e bissexuais que sobrevivem, porque não é fácil. Só quem vive na pele discriminação desse nível sabe como é!

Pensem bem antes de falar de instabilidade. Pensem bem antes de falar qualquer coisa a respeito de qualquer um, você não sabe o que aquela pessoa passou e passa pela vida!



Quantas alegrias e felicidades nós já perdemos?

(Quão responsável cada um é por isso)

Quantas ainda vamos perder?



Acredito, que haverá o tempo, em que não teremos mais as classificações banais como homo, hétero e bissexualidade, mas apenas a sexualidade; e ela será tratada de forma tão natural, como o respirar de cada dia. Nesse tempo, nós seremos livres para sermos o que somos, sinceros e leais com o nosso presente momento, independente das circunstâncias. Seremos verdadeiramente corajosos para viver bem!




Gabriela Grecco



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Anúncios

Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.